Aconteceu
Deputado beija seios de mulher em sessão virtual da Câmara e final é surpreendente; Assista

Publicado em 26/09/2020 09:36 - Atualizado em 26/09/2020 09:36

Foto/Reprodução


Juan Emilio Ameri (FPV) é o deputado de Salta(Argentina) que durante a tarde desta quinta-feira estrelou um dos maiores escândalos que a Câmara dos Deputados já viveu: teve um momento íntimo no meio de uma sessão virtual com sua parceira.

“Perguntei a ela como estavam as próteses, porque há dez dias ela fez prótese mamária e ele me disse que uma não havia descido. Então eu disse: 'Posso te dar um beijo?' E eu a beijei no peito, nada aconteceu ", disse Ameri à Radio Con Vos. O deputado explicou que durante a tarde sua conexão com a internet falhou e que, no momento em que estava tendo intimidade com a esposa, achava que estava offline e com a câmera desligada.

“Fiquei convencido de que  não tinha internet e só se reconectou quando voltou. Estou muito mal, isso nos atinge pessoalmente ”, reconheceu.

O legislador, que foi suspenso pelo presidente da Câmara Sérgio Massa, indicou que está "muito envergonhado do que aconteceu" e que pede "perdão à sociedade" pelo ocorrido. 

Deputado argentino que beijou seio da mulher em sessão virtual do Congresso renuncia

 (FOLHAPRESS) - O deputado Juan Emilio Ameri, flagrado na tarde de quinta-feira (24) beijando o seio de sua mulher durante sessão virtual do Congresso argentino, renunciou nesta sexta (25). O caso, que ficou conhecido na Argentina como "tetagate", repercutiu tanto na imprensa local quanto em diversos veículos internacionais.

Ao tentar justificar o episódio, o parlamentar da província de Salta afirmou que não sabia que a câmera de seu computador estava ligada naquele momento, porque sua "internet funciona muito mal".

Deputado argentino que beijou seio da mulher em sessão virtual do Congresso renuncia

Também disse que estava apenas perguntando à mulher como tinham ficado os seios dela após uma cirurgia, realizada havia alguns dias, para colocar próteses.


"Eu disse a ela: 'Vamos ver como ficaram, uma está mais para baixo, outra mais para cima'. Depois dei um beijo num dos seios. Foi só isso."


Ameri foi suspenso imediatamente pelo presidente da Câmara, Sergio Massa. Contrariado, o peronista afirmou que parlamentares costumam se queixar do desprestígio da classe política, mas que a população não poderia esperar outra coisa "se algo assim acontece no plenário".


Massa havia advertido Ameri que sua expulsão seria colocada em votação na semana que vem. O deputado então se adiantou e, por meio de uma carta, renunciou. "Gostaria de pedir desculpas por minha conduta. Não foi minha intenção desrespeitar essa honrada Câmara, meus pares deputados e deputadas, nem o povo de Salta que me elegeu."


As sessões legislativas argentinas vêm ocorrendo de forma parcialmente virtual desde o começo da pandemia de coronavírus. Outro episódio similar ao "tetagate", ao menos no nível de bizarrices, foi protagonizado há algumas semanas pelo senador opositor Esteban Bullrich, que colocou um display de cartolina com sua própria imagem em frente à câmera para não ter de acompanhar toda a sessão.


Só que, quando foi sua vez de falar, esqueceu-se de tirar o arranjo do enquadramento, e todos viram o parlamentar em frente ao display.


No momento em que Ameri protagonizou o ato erótico, a Câmara dos Deputados debatia a renegociação da dívida das províncias e a reestruturação do pagamento a aposentados. "São temas essenciais num tempo difícil para o país. Não dá para aceitar esse comportamento", voltou a dizer Massa após a sessão.


COMPARTILHAR NO WHATSAPP