Internacional
França fecha 70 escolas uma semana após a volta às aulas devido a novos casos de Covid-19
As autoridades de saúde estão rastreando os contatos das pessoas infectadas para tentar conter o avanço de casos

Publicado em 19/05/2020 20:50

Foto: Sebastien Bozon / AFP

Do G1  -  O ministro da Educação da França, Jean-Michel Blanquer, confirmou na segunda-feira (18) que 70 escolas do país fecharam uma semana após a volta às aulas, devido ao surgimento de casos confirmados e suspeitos de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Ao todo, 40 mil escolas voltaram às aulas na França em 11 de maio.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Segundo ele, a maior parte dos casos foi identificada fora das escolas, mas envolvia a comunidade escolar, como estudantes, professores ou autoridades municipais em contato com crianças.

Blanquer disse que havia "necessidade de ser rigoroso", mas que "o fato de ter que fechar uma escola não [deveria] trazer preocupação".

De acordo com o jornal francês Le Monde, há casos de escolas fechadas que eram as únicas da região, como em Nice, onde um aluno da escola particular Nazareth deu positivo. Em Roubaix, sete escolas foram fechadas "por precaução" devido a um caso "confirmado" de Covid-19 entre os estudantes.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As autoridades de saúde estão rastreando os contatos das pessoas infectadas para tentar conter o avanço de casos.

Leia Também:

Especialista ensina truque simples para acabar com a dor de cabeça em 10 segundos

9 alimentos que vão ajudar você a reduzir a pressão arterial, limpar as artérias e evitar doenças graves

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As melhores (e piores) posições para dormir; Isso influencia bastante sua saúde

Segundo o Le Monde, não há uma regra que deva ser adotada quando um caso de Covid-19 é detectado. O protocolo de saúde escolar indica que "decisões de quinzena, fechamento de turma ou escola podem ser tomadas". Na prática, as “suspeitas” do Covid-19 geram preocupações na comunidade educacional, instando os municípios a serem cautelosos.


COMPARTILHAR NO WHATSAPP

Leia também